São vários os tipos de sistema de criação de vacas em lactação, produção de leite à pasto ou confinado como free estal ou composto de Barne, em todos eles o primordial é garantir aos animais bem-estar e o conforto.

Mas o que vem a ser bem-estar animal? Estado do indivíduo em que há harmonia física e mental entre o organismo e o ambiente.

O que devemos considerar ao avaliar o conforto e o bem-estar dos animais?

O primeiro passo para a correta avaliação é conhecer bem o comportamento dos animais e a pessoa mais indicada para isso é o tratador ou peão que lida diariamente e diretamente com os animais. A partir do momento que conhecemos o rebanho, passamos a segunda etapa da avaliação considerando a interação dos animais com o ambiente.

Essa interação engloba os aspectos ambiente social, físico, as condições climáticas e a interação com o homem e as práticas de manejo. A organização social, tamanho do grupo e o espaço individual são algumas das variáveis relacionadas ao ambiente social que podem afetar o conforto animal, enquanto a quantidade e a natureza do contato com os humanos, expressas pelo medo que a situação pode gerar, são fatores importantes que atuam sobre o bem estar  animal. As instalações, incluindo dimensão dos cochos de alimentação, dos bebedoiros, das baias, dos tipos de piso, etc., compreendem o ambiente físico e possuem grande influência no conforto dos animais.

O clima pode ter um impacto significativo sobre o conforto e bem estar dos animais, com o frio representando um problema par o recém nascido no período do parto, e o calor apresentando consequências adversas no desempenho produtivo e reprodutivo dos animais adultos. As práticas de manejo que Interferem no conforto animal incluem aquelas que se relacionam com a mais simples intervenção, tal como aleitamento artificial que, além da separação da mãe, envolve contato muito próximo com os humanos, até as cirurgias, tais como corte de cauda e castração.