É fundamental que todo pecuarista proporcione boas condições de saúde e bem-estar ao rebanho. E a exigência se aplica não apenas no sentido de controlar ou evitar doenças na propriedade, mas também no sentido de alcançar a qualidade total da carne e do couro produzidos na fazenda.

As providencias relativas à manutenção da saúde dos animais englobam as vacinações, como exemplo contra a febre aftosa e o controle dos parasitas internos e externos.  Segundo a Embrapa, a presença de endo e ectoparasitas representa um prejuízo anual US$ 18 bilhões ano.

Nesse contexto, a contabilidade revela que as verminoses são responsáveis por um prejuízo de 35,2%, seguido do berne que responde por 22,22% em perdas. Já a mosca dos chifres e dos estábulos, juntas, representam um impacto de mais de 16,66% por ano. Por último e não menos importante, o carrapato representa 21,98% por ano de danos para a produção de corte e leite.